sábado, 3 de agosto de 2013

O ELO PERDIDO

Ficou desaparecido por tanto tempo que muitas pessoas desistiram da ideia de o encontrar. Procuraram por toda a parte, mas sem sucesso. Até que, em 1911, em Sussex, Inglaterra, antropólogos finalmente encontraram os restos mortais. Eles estavam convencidos de que era realmente o que procuravam – o elo que faltava entre o homem e o macaco. Chamaram-no homem de Piltdown.
Que decepção! Nos anos 50 a verdade veio à tona! Foi tudo uma brincadeira cuidadosamente montada e planeada por um grupo de jovens. Tinha o crânio de um homem, a mandíbula de um macaco e algumas partes da presa de um elefante norte africano. Não havia um elo perdido, no final das contas!
Um livro recente de antropologia refere-se ao homem como um “macaco nu”. Embora possa ter alguma semelhança com o macaco, o homem não é um macaco. Nunca foi um macaco. Homo Sapiens é uma espécie única de um gênero único. O homem foi formado num ato de criação, a coroação da criação de Deus. Ele é a epítome do trabalho do Criador. O mesmo cérebro que em tempos remotos utilizava o fogo  e  aprendeu a usar ferramentas e armas, hoje manuseia equações de fissão nuclear, cálculos astronômicos e tecnologia da computação. O homem compreende e ama a música, a literatura e a ciência. Ele tem afeição à sua religião e cultura, seus governantes, sua sociedade e sua casa.
Deus fez o homem à sua imagem, e lhe prometeu domínio sobre o mar e a terra. O homem reclamou este domínio, e produziu uma civilização tão maravilhosa quanto complexa. A criação e a evolução são incompatíveis. Deus criou a raça humana perfeita. A Bíblia diz:
Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.” (Gênesis 1:31)
O corpo humano é a peça mais complexa da maquinária do mundo! Podemos entender a exclamação do salmista quando disse:
“Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem.”  (Salmo 139:14)
Somente os seres humanos, dentre todas as coisas vivas, através do poder do pensamento, adquiriu a escrita, a literatura, a ciência, e o profundo estudo da alma. Apenas o homem possui os poderes de reflexão e introspecção. Vivemos num universo tão vasto que seus limites são desconhecidos. Sob bilhões de estrelas e planetas, apenas o homem estuda astronomia.
Os animais vivem no mesmo mundo físico que nós. Respiram o mesmo ar, bebem da mesma água, comem comidas semelhantes, estão sujeitos à mesma gravidade, temperatura, atmosfera e radiação solar. Mas num mundo de mais de 100 elementos, apenas o homem estuda a química. E num mundo de cor e beleza, apenas o homem é artístico. Num mundo imenso cheio de mistérios complicados, apenas o homem é um inventor. Num mundo de sons e ruídos, o homem é único em sua forma de comunicação. Num mundo de números e cálculos, apenas o homem é um matemático. Num mundo manchado pelo pecado, apenas o homem é religioso.
O cérebro do homem o distinguiu dos outros animais. Ocupando todo o topo da cabeça humana está a massa pregueada, com aparência de gelatina, pesando um quilo e meio. Ele é um sistema que arquiva milhões de partículas de informação. É um centro de linguagem que escolhe e arranja muitos milhares de palavras numa variedade de combinações quase infinita. É o monitor constante de uma enxurrada de impressões sensoriais do mundo exterior. É um gerador de impulsos e emoções humanas. É o operador das funções vitais, como a respiração, o batimento cardíaco e o movimento dos músculos.
Milhões de correntes elétricas, tão fracas que a soma delas não acenderia uma lâmpada comum, estão indo de um lado para outro criando milagres constantes. Embora falemos da destreza das mãos habilidosas do cirurgião, sabemos que a habilidade está no cérebro. Podemos falar de uma pessoa que tenha uma mente intelectual, mas também sabemos que este conhecimento está no cérebro.
Algumas vezes as pessoas criticam a Bíblia por sugerir que o coração do homem precisa ser mudado, e por referir-se ao coração como centro das emoções. A Bíblia usa a mesma linguagem das emoções que usamos hoje. Você nunca ouviu falar de alguém que tivesse enviado à pessoa amada a foto de seu cérebro no Dia dos Namorados. Nem de alguém que dissesse: “Amo você de todo o meu cérebro”.
Às vezes ficamos pensando se os bens manufaturados que temos, poderiam ser feitos para durar mais. Parece que chegamos a um ponto em que as coisas são feitas para quebrar depois de um certo número de horas de uso, e assim teremos que comprar novos itens.
Não foi assim que Deus criou o homem. Nosso corpo foi desenhado para viver eternamente. Seis mil anos se passaram desde que Deus criou a raça humana, e neste tempo o homem fez tudo que podia para destruir o corpo maravilhoso que Deus criou. O homem tem maltratado seu corpo com uma alimentação errada, drogas, maus hábitos e falta de exercícios e descanso. Mas, mesmo depois de seis mil anos de pecado, o homem ainda é a peça mais maravilhosa de engenharia que já foi concebida. Nenhum dispositivo eletrônico, nenhuma máquina, nenhum foguete ou satélite pode ser comparado ao corpo humano. Ele é mais sofisticado e complicado do que o de qualquer animal.
Carros, computadores e robôs são, às vezes, romanticamente considerados vivos. Mas eles não consertam a si mesmos, ou crescem, ou se reproduzem. O carro mais caro do mundo não repara seus próprio arranhões como faz o corpo humano.
Deus está interessado em nossa saúde física? Ele se importa se cuidamos bem do corpo que Ele criou para nós? Ele prometeu que se O obedecêssemos Ele cuidaria de nós. Alguns acham que cuidar de seu corpo não tem nada a ver com religião. Deus disse a Seu povo no tempo do Antigo Testamento:
“E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o Senhor que te sara.”  (Êxodo 15:26)
Nossa alimentação tem muito a ver com nossa religião! Deus disse:
“Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.”  (1 Coríntios 10:31)
O sexto mandamento diz: “Não matarás”. A maioria dos religiosos concordaria que isto inclui o suicídio. Mas alguns cristãos têm a idéia errada de que o suicídio é pecado apenas se for cometido repentinamente. Se cometido aos poucos, parece que não importa.
Note o que Paulo diz à igreja de Corinto:
“Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1Coríntios 6:19)
No terceiro capítulo do mesmo livro, ele declara esta mesma verdade numa linguagem ainda mais forte.
“Não sabeis que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.” (1 Coríntios 3:16,17)
A saúde, assim como o clima, é um assunto sobre o qual muitos falam, mas não fazem muito a respeito. Deve ser algo importante. O governo dos Estados Unidos gasta cerca de 100 bilhões de dólares por ano tentando restaurá-la e mantê-la. Saúde é o que as pessoas mais desejam no mundo. É uma prioridade.
Nossa saúde também é importante para Deus. O Criador que nos fez deve saber o que é melhor para nós. Ele nos dá algumas regras bíblicas para cuidarmos de nosso corpo.
Quando Deus criou um mundo belo e perfeito e colocou nele nossos primeiros pais, Ele especificou que tipo de alimento tinha separado para a família humana.
“E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.”  (Génesis 1:29)
Esta é a alimentação perfeita para mantermos a saúde. A alimentação original dada por Deus era uma alimentação vegetariana. O Deus que criou o corpo sabia o que era necessário para mantê-lo forte. Quem questionaria o Criador sobre seu conhecimento do corpo que Ele mesmo fez?
Henry Ford desenhou os primeiros carros da Ford, e ninguém, melhor que ele, sabia como cuidar deles. Quando adquirimos um carro novo, encontramos um manual do proprietário no porta-luvas. O fabricante recomenda certo tipo de combustível. Você pode pensar: “O carro é meu, eu o comprei e paguei por ele, então posso usar o tipo de combustível que eu quiser.” Testemunhei um erro num posto de gasolina. O frentista colocou gasolina comum no tanque de um Volkswagen Rabbit a diesel. O resultado foi desastroso.
Quando Deus afirmou que frutas, nozes e grãos eram o melhor regime para Sua criação, Ele sabia do que estava falando. Mais tarde, depois da entrada do pecado, foram acrescentadas as verduras, e os quatro pilares de uma alimentação perfeita foram estabelecidos.
E a carne? Não foi incluída no regime alimentar original da humanidade. Não havia morte no plano de Deus, por isso não poderia haver nenhuma carne na alimentação do homem. Só depois do Dilúvio Deus permitiu o uso de alguns animais limpos como alimento. Um estudo do livro de Gênesis revela a mudança no tempo de vida depois que o homem passou a comer carne animal. Antes do Dilúvio, as pessoas viviam até 900 anos.
Estudos recentes mostram que o corpo humano funciona melhor numa dieta vegetariana do que numa dieta com carne, e os vegetarianos vivem mais que os não-vegetarianos.
Muitos cristãos acreditam que as regras de saúde dadas no Antigo Testamento foram abolidas por Cristo. No Antigo Testamento temos três categorias básicas de leis. A lei moral, os dez mandamentos, foi escrita em pedra para mostrar que é eterna. As leis cerimonias, ligadas ao santuário e seu sistema sacrificial do Antigo Testamento, eram uma “sombra do que viria a acontecer”, apontando para Cristo. E as leis de saúde?
“Eram para os judeus”, alguém me disse recentemente. “Que tipo de corpo tem o judeu?”, perguntei. Fiz muitas viagens a Israel, e tenho muitos amigos judeus. Notei que têm o mesmo corpo que qualquer outra pessoa. As mesmas coisas que seriam um veneno para eles, também o seriam para mim. Os mesmos alimentos que são prejudiciais a eles, são prejudiciais a todas as pessoas.
Deus especificou alguns animais que não deveriam ser comidos. Ele nos dá uma lista no capítulo 11 de Levítico. Entre as três categorias de animais: mamíferos, peixes e aves, nos é dito quais podem ser utilizados como alimento e chama a atenção para o perigo daqueles chamados imundos.
“Todo que tem unhas fendidas, e o casco  divide em dois, e rumina, entre os animais, esses comereis. Destes, porém, não comereis: dos que ruminam ou dos que têm unhas fendidas: o camelo, que rumina, mas não tem unhas fendidas, este vos será imundo; o arganaz, porque rumina, mas não tem as unhas fendidas; este vos será imundo; a lebre, porque rumina, mas não tem as unhas fendidas; esta vos será imunda. Também o porco, porque tem unhas fendidas, e o casco dividido, mas não rumina; este vos será imundo; da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver; estes vos serão imundos. De todos os animais que há nas águas, comereis os seguintes: todo o que tem barbatanas e escamas, nos mares e nos rios; esses comereis. Porém todo que não tem barbatanas nem escamas, nos mares e nos rios,  todos os que enxameiam as águas, e todo ser vivente que há nas águas, estes serão para vós outros abominação.”  (Levítico 11:3-10)
Nos tempos bíblicos, o povo de Deus parou de comer carnes imundas com base no mandamento de Deus. Eles não as comiam porque Deus disse que não deveriam come-los. Vivendo no século XX, como vivemos, temos uma razão a mais. Não apenas temos a Palavra de Deus nos dizendo que certos alimentos são imundos, temos evidências científicas que confirmam a Palavra de Deus.
Aqui está um artigo que tenho há muito tempo. Encontrei-o num Philadelphia Daily News, de 1957.
“Porcos são porcos, e o prefeito Dilworth está interessado neles porque comem 150 mil toneladas de lixo por ano. Por isso a legislatura pede que mantenhamos o preço do porco alto. Assim, poderemos ter certeza de que a cidade não terá problemas em se livrar de seu lixo.”
Existe um verdadeiro depósito de lixo humano. Os porcos comem o lixo e as pessoas comem os porcos.
Quando Deus disse a Moisés que o porco é um porco, Moisés não conhecia a evidência científica que dispomos hoje. O Dr. O. S. Parrot fez um amplo estudo sobre o porco. Aqui estão suas palavras:
“A infecção por triquina nos Estados Unidos é encontrada em 25% de todos os adultos. Dois médicos, MacNaught e Anderson, fizeram uma autópsia pegando músculos do diafragma de 100 corpos, e descobriram que 23 deles estavam infectados com a triquina viva. Depois examinaram mais 100 corpos e encontraram 25 casos positivos de triquina. E nenhuma destas 200 pessoas reclamava ou sabia que estava sofrendo.”
Salsichas dos melhores mercados dos Estados Unidos foram submetidas a um teste, e foi descoberto que a cada cinco salsichas, uma estava infectada por triquina. Numa pequena cidade do Colorado, o governo apreendeu salsichas com triquina viva de um determinado supermercado depois que uma família toda ficou muito doente. Uma jovem, de dezoito anos, ficou tão doente que foi levada ao hospital por causa de uma infecção por triquina que atacou seu diafragma. Ela teve de ser colocada numa tenda de oxigênio para ser mantida viva. No início a família pensou que ela estivesse com gripe ou com alguma dor muscular causada por um resfriado. Mas pegaram um pedaço do músculo do ombro da garota e descobriram que estava cheio de triquina.
“Uma única porção de porco contaminado – até mesmo uma única garfada, pode matar, invalidar, ou condenar a vítima a uma vida de dor. Pois esta doença singular, a triquinose, não tem cura. Com nenhuma droga para pará-los, os vermes se espalham pelos tecidos musculares de todo o sistema humano.
“Os médicos confundiam a triquinose com outras 50 doenças, desde a febre tifóide até o alcoolismo. Aquela dor no seu braço ou perna pode ser artrite ou reumatismo, mas pode ser triquinose; aquela dor nas suas costas pode ter envolvimento com a vesícula biliar, mas pode ser triquinose.”  (Seleções, Março de 1950)
Quando Deus proibiu certos alimentos provenientes do mar, Ele teve razão para fazê-lo. A medicina moderna descobriu algumas das razões. Na revista Prevention, de 1972, vemos a Bíblia provada pelo estudo científico.
“Por que os crustáceos são perigosos? Porque muitas vezes são mais poluídos do que as águas filtradas em que habitam. Infelizmente eles escolhem viver, copular e se multiplicar em estuários ao longo das regiões costeiras. Estes estuários estão particularmente sujeitos à descarga de esgoto, afluentes de esgotos e outros poluentes. O aspecto poluído do habitat é um perigo. O fato de que os crustáceos bivalves são como filtros compõe o perigo. As ostras, por exemplo, por causa da forma como obtém e absorvem o alimento, descobriu-se que concentram o vírus da pólio de 20 a 60 vezes mais que o nível da água que as cercam. Nenhuma outra comida animal oferecida no cardápio de seu restaurante favorito é servida juntamente com suas fezes. Mas esse é o caso dos frutos do mar. Ele é servido inteiro; completo, com todo seu trato intestinal.”
Num recente programa religioso, ouvi um pregador declarar que Deus havia purificado os animais imundos, especialmente o porco, como foi revelado a Pedro no capítulo 10 do livro de Atos. Se Deus purificou o porco, não fez um bom trabalho, porque ele continua a ser um porco. Só tomando Atos 10 completamente fora de seu contexto poderíamos chegar à conclusão de que a mensagem de Deus a Pedro estava relacionada com a alimentação.
Pedro teve um sonho no qual um recipiente que parecia um lençol atado aos quatro cantos da terra, cheio de animais, pássaros e répteis, descia do céu. Uma voz disse: “Levanta-te, Pedro! Mata e come.” (Atos 10:13) Pedro se recusou porque os animais eram imundos. A cena se repetiu por três vezes.
Enquanto Pedro estava pensando em qual era o significado da visão, dois homens bateram à sua porta. Eles foram enviados de Cesaréia por um homem chamado Cornélio. Como Cornélio era um gentio, Pedro evitaria qualquer contato com ele. Mas a visão que ele recebeu foi uma lição objetiva para convencê-lo de que ele deveria repartir a mensagem do evangelho com Cornélio.
Pedro teria entendido que a visão não estava relacionada com a alimentação? Mais tarde, ao falar sobre a visão, ele disse:
“...Vós bem sabeis que é proibido a um judeu ajuntar-se ou mesmo aproximar-se a alguém de outra raça; mas Deus me demonstrou que a nenhum homem considerasse comum ou imundo.” (Atos 10:28)
Deus não lhe mostrou que não deveria chamar a nenhum porco comum ou imundo. A visão não foi dada para corrigir seu regime alimentar. Foi dada para mostrar a ele que Deus não é alguém que beneficia os grandes poderosos. Se a visão lhe tivesse sido dada para mostrar que Deus limpou o porco, ele teria dito: “Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de porcos”. Não foi isso o que Pedro entendeu da lição que Deus lhe deu.
“Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas.”  (Atos 10:34)
Quando os iníquos forem destruídos no tempo do fim do mundo, aqueles que insistem em comer porco e ratos, estão incluídos na lista dos pecadores queimados pelo fogo do inferno.
“Os que se santificam e se purificam para entrarem nos jardins após a deusa que está no meio, que comem carne de porco, coisas abomináveis  e rato serão consumidos, diz o Senhor.” (Isaías 66:17)
Quando Deus fala sobre cuidarmos de nossos corpos, Ele está baseando Seus ensinamentos em princípios óbvios. A Bíblia, é claro, não menciona fumar cigarros ou charutos. Conhecemos o perigo do fumo, e não restam dúvidas de que ele destrói o “templo” que Deus nos deu. Fumar é uma forma de suicídio lento.
Na Palavra de Deus somos avisados sobre os perigos das bebidas alcoólicas. Deus diz:
“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido, não é sábio.” (Provérbios 20:1)
Evidências científicas confirmam os avisos da Bíblia sobre bebidas fortes. O álcool é um veneno. Cada gole de qualquer bebida alcoólica destrói células preciosas do cérebro. Uma vez destruídas, estas células nunca mais podem ser substituídas. Quanto a mim, não tenho mais células cerebrais do que preciso, então não vou destruir as que tenho. Algumas pessoas se surpreendem quando digo que nunca provei uma gota de qualquer bebida alcoólica. Nem pretendo provar. Sei de muitos corpos doentes e lares desfeitos por causa do álcool. Através dos anos tornei-me um grande inimigo do uso de bebidas alcoólicas. Algumas vezes meus amigos tinham pena de mim quando não me unia a eles para tomar as usuais bebidas de Natal ou Ano Novo. Na manhã seguinte eu é quem tinha pena deles enquanto tentava tratá-los de suas miseráveis ressacas.
Deus não força ninguém a fazer o que é certo. Se, depois de ler Sua palavra e ver as evidências científicas, você insistir em beber bebidas alcoólicas, Ele não enviará um anjo para arrancar o copo de sua mão. Se, apesar de todas as advertências da medicina moderna, você insistir em fumar, Deus não enviará um anjo para apagar seu cigarro. Se, apesar de conhecer os perigos de comer em excesso, você ainda insistir em comer mais do que precisa, Ele não enviará um anjo para afastar sua cadeira da mesa.
É importante que nos lembremos que Cristo não veio restringir nossa liberdade, como alguns pensam, mas quer que apresentemos uma vida cheia de riquezas, com Ele. Ele nos diz:
“...eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10)
O que a Bíblia advoga é vida em abundância. A pessoa como um todo, perfeita em corpo, mente e espírito, é o que Ele nos oferece. Poderíamos querer menos?
Por que Deus quer que nos cuidemos? Pela mesma razão que você pede a alguém querido que se cuide. É porque você o ama. Deus nos ama tanto que quer que sejamos saudáveis e felizes. Ele diz:
“Amado, acima de tudo faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma.” (3 João 2)
Quanto Deus nos ama? A única medida que temos é a cruz do Calvário. Uma das maiores necessidades do coração humano é sentir-se amado e querido. Satisfazer a necessidade de quem amamos, e saber que a pessoa satisfaz nossa necessidade é a base de um verdadeiro companheirismo. Um casal que tem este tipo de experiência juntos é verdadeiramente feliz. Quando pais e filhos compartilham esta experiência, o conflito de gerações desaparece. Deus nos ama e deseja nos ensinar não só o que quer para nós, mas também o que quer para Ele. Ele não restringe nosso regime alimentar para nos privar de prazeres! Ele diz: “Eu o amo, então, por favor, cuide-se!”

Soube de um pai que estava pagando 900 mil dólares para ter de volta seu filho de 13 anos que havia sido seqüestrado. O filho valia isso? Qual o valor de uma alma humana? Aquele pai teria aceito um substituto? De forma alguma. Mesmo se o substituto fosse mais forte, mais saudável ou mais bonito. Mesmo se o substituto fosse oferecido a um preço muito inferior ele sequer consideraria a proposta.
Como esperamos ansiosos o dia em que Cristo virá para nos levar ao lar! Quando chegarmos ao paraíso celestial, as ruas de ouro não estarão cheias de pontas de cigarros. Não seremos incomodados pelos sons e os cheiros dos abatedouros na santa cidade de Deus. Não haverá bêbados deitados nas calçadas da Nova Jerusalém.
Jesus demonstrou o amor dele por você no Calvário. Seu valor para Deus não pode ser calculado. Para mostrar sua gratidão e amor para com Ele, você pode cuidar do maravilhoso corpo que Ele lhe deu.

1 comentário:

Bruno dos Santos Queiroz disse...

EVOLUÇÃO A LUZ DA BÍBLIA
Segundo a Teoria Macroevolucionista,nós e os macacos tivemos um ancestral comum.Mas o que diz a Bíblia sobre isso?Enquanto a macroevolução está descrita em diversos livros evolucionista a Criação fixista está clara no primeiro Livro da Bíblia.Qual dos livros terá mais valor?Será que se pode comparar a Bíblia com outros livros?



Realmente,é inegável que alterações ocorram dentro de uma espécie,fazendo surgir novas raças(anagenese),entretanto,não existe evidência consistente de que alguma espécie tenha evoluído a ponto de originar novas espécies(cladogenese), pois cada ser vivo foi criado “conforme a sua espécie”(Gn1.24-25;Lv11.22).A Macroevolução é obscura,polêmica e não conta com o apoio de evidências fortes, o próprio Charles Darwin tinha dúvidas sobre a especiação e pouco antes de morrer declarou crer em Deus,porém o surgimento de novas espécies é considerado a “essência da Evolução” .
O Evolucionismo,resolveu inventar,a partir de fósseis não-legíveis ,”espécies ancestrais dos primatas”.A verdade,porém, é que a maioria dos fósseis da “linhagem humana”,resume-se apenas a partes de indivíduos,como fragmentos de mandíbula,dentes, pedaços de crânio e de membros,etc.Mesmo assim,a partir de partes de um crânio deteriorado,ou com base em dentes ou até mesmo em pegadas pretende-se reconstruir toda uma estrutura corporal de um suposto “ancestral dos antropóides”.
A fraude é apresentada como evidência evolutiva.Achando insuficiente a obra do Criador,o homem,por si só,resolve ‘criar’ novas espécies;ignorando o Livro Sagrado,uma nova árvore filogenética é montada,co base em meras presunções (1Tm4.1;2Tm2.23).
Sob a égide da mentira,o Evolucionismo se declara como única explicação racional sobre a origem das espécies,e critica,sem conhecimento, o Criacionismo Bíblico,julgando-o mitológico,irracional,dogmático e baseado apenas no sobrenatural.A mentira Evolucionista repetida muitas vezes torna-se ‘verdade’,a fraude,porém,atrasa a Ciência.Confira:Romanos1.18-25; Salmos14.1; 53.1.
A existência de órgãos homólogos e (supostamente) vestigiais,também são apontados como evidência evolutiva.Vejamos porém,eles,sobre o ponto de vista bíblico:
· ÓRGÃOS HOMÓLOGOS= Estruturas corporais ou órgãos idênticos entre as espécies,são na realidade,evidência de que todas elas tiveram um só Projetista,um só Criador(Is45.5-7).
· ÓRGÃOS VESTIGIAIS= Vários órgãos antes considerados “sem função”,te demonstrado portadores de um papel.Um exemplo é o apêndice,que serve como abrigo para microorganismos auxiliares na digestão da celulose dos vegetais.Ele deve ter sido de grande uso para os primeiros humanos,já que antes do Dilúvio,as pessoas comiam apenas frutas,vegetais,cereais e nozes(Gn1.29;2.16).
Portanto,fica claro que o Evolucionismo, não é realmente científico,já que segundo o método científico, Teorias devem se basear em evidências consistentes,oriundas de experiências realizadas em laboratórios e submetidos a testes rigorosos.A Evolução entretanto,baseia-se em meras presunções de aparentes evidências.Nós, porém,”pela fé cremos que o Cosmo foi criado pela Palavra de Deus,de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente”(Hb11.3).Sendo assim, busquemos um relacionamento cada vez mais achegado,com o Amoroso Criador do Universo(Tg 4.8;Is55.6).